Transamerica Expo Center
Entrevista: Carolina Terra – Redes sociais e gestão de eventos

22 maio 2018

Entrevista: Carolina Terra – Redes sociais e gestão de eventos

As redes sociais já se consolidaram como espaços para o posicionamento de marcas, para a geração de leads e o desenvolvimento de brandings. Quando o assunto é gestão de eventos, elas também têm se consagrado como estratégia essencial para divulgá-los e estabelecer um fluxo de comunicação com os participantes.

A Transamerica Expo Center conversou com uma das principais pesquisadoras sobre o papel das redes sociais no ambiente corporativo, a professora e relações públicas Carolina Terra. Além de mestrado e doutorado em Interfaces Sociais da Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP), ela é especialista em Gestão Estratégica da Comunicação Organizacional e Relações Públicas. Carolina Terra já atuou em grandes empresas. Ela foi, por exemplo, gerente de mídias sociais do grupo Nestlé. Confira o bate-papo!

1 – Carolina, quais são as principais estratégias que os organizadores de eventos, como feiras e exposições, devem levar em consideração na hora de traçar um plano de redes sociais?

Acredito que os organizadores devam pensar em como facilitar a vida do usuário/participante. Portanto, talvez algumas possibilidades sejam planejar: um aplicativo sobre o evento para que os participantes possam se guiar; um bom website com todas as informações sobre o evento e/ou para realizar inscrições; e transmissões ao vivo de trechos de palestras, entrevistas com os conferencistas etc. É preciso se planejar e também pensar em quais métricas serão interessantes para “calcular” o sucesso do evento. Muitas vezes, um evento, hoje, se dá presencialmente e também no ambiente digital.

2 – Como explorar o potencial das redes sociais enquanto o evento é realizado? Fazer live streamings, por exemplo, é uma boa estratégia?

Do ponto de vista dos negócios, dá pra pensar no evento presencialmente e também no meio digital. De repente, uma possibilidade é vender transmissões ao vivo de determinadas palestras ou fazer lives degustações para atrair participantes. O potencial das redes sociais também pode ser explorado por meio de entrevistas com os keynote speakers de forma a dar peso ao evento e da coleta de depoimentos em vídeo dos participantes. Dá, também, pra fazer transmissões ao vivo, no sentido de cobertura, nas redes sociais. O potencial é enorme!

3 – Quais são os principais erros cometidos pelas empresas quando o assunto é o uso das redes sociais na gestão de eventos?

Acredito que o principal erro seja deixar o website do evento estático e não pensar na usabilidade do usuário. Pensar que o usuário vai pro evento munido de um celular e que este tem que conter a informação do evento é crucial.

4 – Você acredita que a figura de influenciadores digitais pode ser importante para a criação da identidade e divulgação de eventos? Como eles podem ser aproveitados por uma marca em uma feira, por exemplo?

Acredito que os influenciadores digitais possam sim ser usados. Podemos pensar em: mandar influenciadores para o evento para que façam a cobertura por meio das redes sociais do evento e pelas deles próprias; contratá-los como curadores do evento; e convidá-los para participar do evento, como cortesia, se o tema for ao encontro dos conteúdos que eles trabalham.

5 – Um evento deve ser divulgado e explorado em todas as redes sociais ou existem algumas mais apropriadas do que outras?

Isso vai depender das características do evento em si e também da audiência que vai participar. Mas, em geral, é bacana criar uma estratégia específica para a divulgação e cobertura do evento. Acredito que a peculiaridade do evento vá dizer quais são as redes mais interessantes. Até porque temos que analisar quais são as plataformas de mídias sociais que a audiência do evento vai estar para que a organização possa se programar para fazer as disseminações de conteúdo.

6 – Existe algum outro ponto envolvendo redes sociais e gestão de eventos que você ache relevante destacar?

Não tem mais como negligenciarmos o ambiente digital e dissociá-lo do mundo dos eventos. É preciso pensar em estratégias que ajudem a potencializar o evento tanto atraindo participantes quanto contribuindo para a sua divulgação e, muitas vezes, para a sua cobertura.

Ficou com alguma dúvida sobre a relação entre redes sociais e gestão de eventos? Deixe a sua pergunta nos comentários.